quinta-feira, 19 de maio de 2011

Vai porque este é para mim um vaso escolhido...

Quem não conhece aquele velhoditado popular: “Pau que nasce torto morre torto e se duvidar até a cinza é torta”. Normalmente as pessoas não acreditam em mudança de seu semelhante. E por não acreditar, generaliza, banaliza, discrimina, cria preconceito... A mentalidade predominante é essa: “Pau que nasce torto morre torto e se duvidar até a cinza é torta”.

No conceito humano, não há ninguém perfeito. A ciência, a medicina, as religiões no mundo inteiro ainda não descobriram uma formula que torne o a pessoa humana perfeita. O sábio Salomão disse: “Aquilo que é torto não se pode endireitar; e o que falta não se pode calcular” (Ec 1:15).

Ainda bem que Deus não pensa como o ser humano. Se Deus pensasse como o homem eu não teria essa oportunidade ímpar de escrever sobre esse assunto. Mas não quero escrever sobre mim. Tem outros personagens mais conhecidos e mais importantes, dignos de destaque, dada a grandeza do milagre de Deus. Entre tantas histórias lindas de transformação, permita-me apresentar a você a transformação de Saulo de Tarso, descrita em Atos capitulo 9. Se não a maior, mas um dos maiores exemplos de mudança registrada na Bíblia. Na verdade essa história começa em Atos dos Apóstolos, cap. 7, versículo 58. “... e, lançando-o fora da cidade o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas vestes aos pés de um mancebo chamado Saulo”.

Saulo de Tarso como era conhecido, era extremamente religioso, quem sabe atualmente seria denominado uma pessoa fanática, porque como judeu, tornara-se fariseu e naturalmente defensor da sua religião a ponto de exterminar quem se opusesse a ela. Tanto que ao ver o cristianismo se expandindo com a fuga dos cristãos para Damasco, na Síria, ele viajou 240 kms para encontrá-los e trazê-los de volta à Jerusalém. Saulo esteve em Jerusalém e testemunho o assassinato de Estevão, o primeiro mártir do cristianismo (Atos, 6-7). E como excelente aluno do mestre Gamaliel, conhecia muito bem a Escritura Sagrada e entendia que o cristianismo não era apenas uma ameaça ao judaísmo, mas uma afronta a Lei de Moisés. O fariseu Saulo acreditava que o movimento cristão era um perigo para o judaísmo. Por isso odiava a fé cristã e perseguia os cristãos sem misericórdia. Ele conseguiu permissão para viajar à Damasco, a fim de prender os cristãos e trazê-los de volta à Jerusalém.

Um fanático, cruel, perseguidor, no caminho para Damasco encontra-se com Jesus. O impacto da presença de Jesus resplandece sobre os olhos de Saulo e o mesmo ficou cego. “Saulo, Saulo, porque me persegues?” Diante da pergunta de Jesus, Saulo indaga: “Quem és tu Senhor?”. E Jesus responde: “Eu sou Jesus a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os grilhões”. O durão, o impossível, perseguidor, fanático, cai por terra e estarrecido, clama: “Senhor o que queres que eu te faça?”

É assim que Jesus trata com o imperfeito. Ele se manifesta, torna o homem pó e depois indica o caminho da perfeição – A conversão genuína, mudança radical de caráter.

Porque Jesus não pegou o chicote e não matou Saulo e seus parceiros? “A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto esperarei nele.” E ainda: “Embora alguém o entristeça, contudo terá compaixão segundo a grandeza da sua misericórdia.” Lamentações de Jeremias, 3:22,23 e 32.

Em Genesis, 2:7, a Bíblia afirma que Deus formou o homem do pó da terra e soprou sobre suas narinas o espírito e o tornou alma vivente. O homem continua pó. “Veio do pó ao pó voltará”. Assim diz a Escritura Sagrada. Porém, Deus não o trata como pó. Deus o trata como imagem e semelhança do Pai, Filho e Espírito Santo.

Em particular na história de Saulo, Jesus o trata como “vaso escolhido”. O Senhor usa aqui uma linguagem muito particular dos judeus. Pois segundo a cultura judaica, os filhos tão logo nascessem deveriam ser circuncidados porque já nasciam “nazireus”; ou seja, escolhidos de Deus desde o ventre materno. E Jesus não ver Saulo como fanático e perseguidor, Ele o ver como um vaso escolhido. Por isso, Ele vai à Ananias em sonho e ordena que o mesmo vá ao encontro de Saulo e ore com ele, no relato, Jesus diz a Ananias que Saulo o está esperando. Jesus dá a entender que ambos se conheciam, são duas personalidades distintas e bem conhecidas. Saulo, perseguidor dos cristãos e Ananias um cristão que até então não havia entendido a sua missão de evangelizar. Ananias demonstra visão humana em relação ao milagre da transformação. “Aquele homem? Senhor, de muitos ouvi a cerca deste rapaz, quantos males tem feito aos teus santos em Jerusalém...” Não interessa, “Vai porque este para mim um vaso escolhido para levar o meu nome aos gentios...” O argumento de Ananias religiosamente pareciam brilhantes. “Esse moço não tem jeito, nos persegue, é contrário a nossa religião. E daí? Esse rapaz é um viciado, vive se metendo em confusão; e daí? É melhor nem orar por ele, muito menos levá-lo para igreja. O que as pessoas vão pensar da nossa comunidade? Para Deus todo ser humano é um vaso escolhido. E quando Deus resolve agir, não interessa a condição e as condições de vida de uma pessoa. O que a ciência não faz, Jesus faz. O que a medicina não opera; Jesus opera. O que a religião não muda, Jesus transforma. Não importa o grau de periculosidade é ou está a pessoa. “Ora, numa grande casa, não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de madeira e de barro; e uns, na verdade, para uso honroso, outros, porém, para uso desonroso.” II Timóteo, 2:20.

Deus sopra o seu Espírito aonde ele quer e a quem usar. Se hoje a pessoa que você conhece, discrimina, amaldiçoa é motivo de desonra, de vergonha, amanhã Jesus poderá transformá-la e fazer dele um vaso de honra. Satanás destrói a beleza de Deus no homem; torna-o escravo de seu próprio “ego”. Mas Jesus tem o poder de restaurar e torná-lo perfeito. De acordo com a ótica humana, todo homem é visto como pau que nasce torto morre torto e se duvidar até a cinza fica torra. Mas para Deus a pior pessoa no mundo é um vaso escolhido de Deus. Precisa apenas ser moldado como no seu estado original. Seu filho, sua filha; seu marido, sua esposa é um vaso escolhido de Deus. Aquela pessoa que pra você não tem valor, é pó. Deus o torna um vaso especial. Creia nisso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário